Gif com a logo da Treetech para guias rápidos

ÍNDICE


Relé de Ruptura de Membrana/Bolsa - MBR

Figura 1 - Relé de Ruptura de Membrana/Bolsa e sensor MBR

Figura 1 - Relé de Ruptura de Membrana/Bolsa e sensor MBR

Figura 2 - Diagrama de ligação elétrica do relé MBR

Figura 2 - Diagrama de ligação elétrica do relé MBR 


Um jumper (13-15 ou 15-16) deve obrigatoriamente ser instalado para o contato de alarme atuar corretamente.


Figura 3 - Etiqueta do produto

Figura 3 - Etiqueta do produto


Figura 4 - Caixa de Passagem - CP-MBR

Figura 4 - Caixa de Passagem - CP-MBR 


Pré-instalação do CP-MBR

    O CP-MBR é uma caixa de passagem de sinais que tem como principal objetivo proporcionar a comunicação entre o sensor MBR do interior do tanque de expansão/conservador e o Relé MBR. Antes de desligar o transformador para realizar a sua instalação, os seguintes passos devem ser seguidos para evitar possíveis imprevistos:

  1. Consultar os desenhos técnicos e, se possível, fotos das tubulações e dos pontos de acesso ao tanque de expansão do transformador;

  2. Caso não tenha acesso às informações destacadas no item anterior, é necessário um desligamento com o único objetivo de realizar medições e definir o ponto de instalação do CP-MBR.

Figura 5 - Transformador

Figura 5 - Transformador 

    Com as informações necessárias em mãos, o ponto de instalação do CP-MBR pode ser definido, para isso, as orientações a seguir devem ser levadas em conta para a decisão do melhor local.


1 - Conectado diretamente no ponto de acesso do tanque de expansão

    Conecte o CP-MBR direto ao ponto de acesso do tanque de expansão (1) ou a um ponto em forma de “T” (2) muito próximo. Neste caso, não é necessário nenhum tipo de adaptação.

Ponto de acesso do tanque de expansão

2 - Conectado a um acesso em forma de “T” no cano que chega ao tanque de expansão

    Utilizando um acesso em forma de “T”, conecte o CP-MBR a qualquer ponto (que não os cotovelos) do cano que chega à bolsa.

Acesso em forma de T

3 - Conectado no ponto de acesso do tanque de expansão com adaptador de rosca

    Conecte o CP-MBR direto ao ponto de acesso do tanque de expansão ou a um ponto em forma de “T” muito próximo, utilizando um adaptador de rosca para 3/4” BSP.

Conectar o CP-MBR com o acesso em T com um adaptador de rosca 3/4 BSP

4 - Furo no tanque de expansão

    Com uma furadeira, faça um furo em 3/4” BSP no tanque de expansão para conectar o CP-MBR.

Furadeira

5 - Fabricação de peça específica para a instalação

    O cano que chega ao tanque de expansão possui algumas partes chamadas comumente de “cotovelos”. Para a instalação do CP-MBR nestes locais, recomenda-se a fabricação de um acesso em formato “T” sob demanda.Acesso em forma de T

    O fluxograma a seguir descreve passo a passo a pré-instalação do CP-MBR: 

Fluxograma sobre a pré-instalação do CP-MBR

Procedimento de instalação do CP-MBR
Para realizar a instalação do CP-MBR, basta seguir os seguintes tópicos:


1. Localize um ponto de acesso ao interior do tanque de expansão. Geralmente válvulas ou furos roscados pré-existentes podem ser encontrados no tanque de expansão/conservador. Se a utilização destes pontos não for uma opção, será necessário criar um furo roscado. Para isto, use uma furadeira e um macho de rosca. A rosca padrão utilizada pelo CP-MBR é 3/4" BSP. O furo roscado deve dar acesso ao interior da bolsa de expansão ou à superfície seca da membrana de separação do óleo;

Figura 6 - Localização do ponto de acesso no tanque de expansão

Figura 6 - Localização do ponto de acesso no tanque de expansão

2. Insira a sonda MBR através do furo roscado 3/4" BSP sendo necessário deixar um excedente de cabo no interior do conservador a fim de que o sensor permaneça em sua posição correta independentemente do nível de óleo. Assim, recomenda-se que cabo exceda em cerca de 1 m do diâmetro do conservador (D+1 m);

Figura 7 - Posicionamento da sonda MBR no conservador

Figura 7 - Posicionamento da sonda MBR no conservador


3. Rosqueie a base (destacada na figura abaixo) e, em seguida, introduza o cabo da sonda MBR através da base, seguido pela borracha de vedação e, por fim, da arruela. Deixe cerca de 50 cm de cabo excedente acima da base; 

   Figura 8 - Base do CP-MBR

   

Figura 8 - Base do CP-MBR

 

4. Leve o cabo ao interior do cabeçote, certificando-se de atravessar a PCI de suporte e, em seguida, o rosqueie firmemente e aperte o parafuso de segurança da base;


 Figura 9 - Interior do CP-MBR

Figura 9 - Interior do CP-MBR

 

5. Decape cerca de 4 mm de cada uma das 4 vias do cabo. Depois, efetue as conexões elétricas seguindo o diagrama abaixo. Os bornes de conexão são de ação por mola, ou seja, basta introduzir a parte condutora nos seus terminais. Assim, utilizar terminais do tipo agulha é opcional;

 

   Figura 10 - Diagrama de ligação

Figura 10 - Diagrama de ligação

 

6. Ajuste os cabos de acordo com a figura abaixo e verifique se todos eles estão bem conectados aos bornes de ação por mola. Por fim, feche a tampa com firmeza e aperte o prensa-cabo de saída.

 Figura 11 - Conexão dos cabos nos bornes de ação por mola

Figura 11 - Conexão dos cabos nos bornes de ação por mola



Procedimentos básicos de teste

  • Teste 1: Teste para o relé MBR sem o sensor conectado

    Com jumpers instalados nas posições corretas, a tabela abaixo mostra as conexões que devem ser realizadas no relé MBR e os resultados esperados.


JUMPER 1
JUMPER 2
SAÍDA DO CONTATO ESPERADA
STATUS DO LED VERMELHO
Nenhum
Nenhum
Alarme
Ligado
7 - 14
6 - 8
Sem Alarme
Desligado
7 - 14
6 - 7
Alarme
Ligado
Nenhum
6 - 8
Alarme
Ligado
Nenhum
6 - 7
Alarme
Ligado


  • Teste 2: Teste para o relé MBR com o sensor conectado

  1. Conecte o sensor diretamente no relé MBR (o sensor não precisa estar conectado ao CP-MBR nesse teste);

  2. Ligue a alimentação no relé MBR;

  3. Pegue um recipiente com água limpa ou óleo (um copo é suficiente);

  4. Com o sensor no ar, cheque o estado do alarme indicado no MBR (o LED vermelho deve estar apagado) e o contato de alarme deve estar indicado como mostra a tabela abaixo;

  5. Coloque o sensor no recipiente com água limpa ou óleo, dessa forma o alarme deve ser ativado;

  6. O contato de alarme deve se comportar de acordo com os jumpers da tabela abaixo.


COMBINAÇÃO DE JUMPERS
CONDIÇÕES
CONTATO 10 - 12
CONTATO 11 - 12
STATUS DO LED VERMELHO
13 - 15
Ar
Aberto
Fechado
Desligado
13 - 15
Óleo / Água
Fechado
Aberto
Ligado
15 - 16
Ar
Fechado
Aberto
Desligado
15 - 16
Óleo / Água
Aberto
Fechado
Ligado

Resumo dos testes

  1. Caso o relé MBR seja aprovado no teste 1, o relé está em funcionamento normal;

  2. Caso o relé MBR conectado ao sensor seja aprovado no teste 2, ambos o relé e o sensor estão em funcionamento normal;

  3. Caso o relé seja aprovado no teste 1, porém seja reprovado no teste 2, o sensor está com defeito.

Testes de campo adicionais de tensão do relé MBR

1 - MBR com todos os cabos do sensor conectados:


BORNE
BORNE DE REFERÊNCIA
TENSÃO ESPERADA COM O SENSOR NO AR (V)
TENSÃO ESPERADA COM O SENSOR NO LÍQUIDO (V)
6
7
≈ 2 a 3
0 < V < 0,2
14
7
≈ 0
≈ 0
8
7
≈ 12
≈ 12

2 - Relé MBR com mau contato no fio preto do sensor MBR  (conectado ao borne 14):


BORNE
BORNE DE REFERÊNCIA
TENSÃO ESPERADA COM O SENSOR NO AR (V)
TENSÃO ESPERADA COM O SENSOR NO LÍQUIDO (V)
6
7
≈ 1
0
14
7
≈ 12
≈ 12
8
7
≈ 12
≈ 12


3 - Relé MBR com mau contato no fio branco do sensor MBR (conectado ao borne 6): 


BORNE
BORNE DE REFERÊNCIA
TENSÃO ESPERADA COM O SENSOR NO AR OU NO LÍQUIDO (V)
6
7
≈ 0
14
7
≈ 0
8
7
≈ 12


4 - Relé MBR com mau contato no fio azul do sensor MBR (conectado ao borne 7): 


BORNE
BORNE DE REFERÊNCIA
TENSÃO ESPERADA COM O SENSOR NO AR OU NO LÍQUIDO (V)
6
7
≈ 9
14
7
≈ 10
8
7
≈ 12


5 - Relé MBR com mau contato no fio vermelho do sensor MBR (conectado ao borne 8): 


BORNE
BORNE DE REFERÊNCIA
TENSÃO ESPERADA COM O SENSOR NO AR OU NO LÍQUIDO (V)
6
7
≈ 0
14
7
≈ 0
8
7
≈ 12


6 - Relé MBR com todos os cabos do sensor desconectados: 


BORNE
BORNE DE REFERÊNCIA
TENSÃO ESPERADA (V)
6
7
≈ 0
14
7
≈ 12
8
7
≈ 12

Testes com o sensor MBR desconectado do relé


  • Teste 1: Teste de continuidade entre o fio azul e preto

    Desconecte do relé MBR todos os cabos do sensor e usando um multímetro na função de teste de continuidade, conecte as pontas de prova aos cabos azul e preto do sensor. O multímetro deve confirmar que de fato há continuidade, caso contrário o sensor deve ser substituído.


  • Teste 2a: Teste de integridade do sensor - parte 1

  1. Manter os cabos vermelho e azul conectados ao relé MBR (conferir se há uma tensão de aproximadamente 12 Vcc entre eles);

  2. Medir com o multímetro a tensão de saída do sensor, entre os cabos branco (+) e preto (-);

  3. Com o sensor desativado, ou seja, sem contato com o meio líquido, a tensão deve ser de 12 Vcc na saída;

  4. Com o sensor alarmado, ou seja, em contato com líquido ou se o sensor se encontra danificado, a tensão na saída será cerca de 0 Vcc.

    Se a tensão for próxima a 0 V na saída, faça o seguinte teste:


  • Teste 2b: Teste de integridade do sensor - parte 2

1. Desconectar todos os cabos do sensor do MBR;

2. Medir com um multímetro, na escala de diodo, os cabos branco (+) e preto (-), conforme é apresentado na figura abaixo;

Medição dos cabos do sensor MBR

Figura 12 - Medição dos cabos do sensor MBR


3. Se a medição for cerca de 0 V, o sensor se encontra danificado e deve ser substituído;

4. Se a tensão for maior que zero ou se o multímetro mostrar overload (OL), o alarme provavelmente é verdadeiro e deve-se programar a desconexão do transformador para verificação e manutenção.



    Caso haja algum problema ou tenha alguma dificuldade com o download dos dados de LOG, não hesite em entrar em contato!


Contatos:  
Telefone: +55 (11) 2410 – 1190 — Ramal: 421 / 201
Celular: +55 (11) 97225 – 8683 - WhatsApp
Email: sac@treetech.com.br
Portal de Atendimento