Logo da Treetech formando um ponto de interrogação.

    Os fusíveis são dispositivos de proteção que devem ser incluídos na instalação do IDM/SDM. O local de instalação dos fusíveis é normalmente definido em etapa de projeto e leva em consideração alguns pontos:

  • TP utilizado;
  • Valores de fusíveis comerciais.

    O uso destes dispositivos é indicado e mostra-se necessário para que, em eventual curto-circuitos, não haja danos consideráveis ao IED de monitoramento.

Especificações dos Produtos:

    Abaixo é possível acessar especificações detalhadas de ambos os equipamentos Treetech abordados neste guia. Para acessá-los basta clicar no equipamento desejado.

  • IDM:
Hardware
Intervalo/descrição
Tensão de alimentação
38...265 Vca/Vcc. 50/60 Hz
Consumo máximo
< 8 W
Temperatura de operação
-40... +85 ºC
Grau de operação
IP20
Entrada de medição
Intervalo/descrição
Correntes
4 entradas de 0... 10 A rms /4 A pico, com TC clip-on ou resistor Shunt
Tensões
3 entradas de 0... 265 Vca, com TP auxiliar / 0... 300 Vcc
Erros máximos
Intervalo/descrição
Correntes
0,5% da medição + erro do TC
0,5% da medição + erro do resistor Shunt
Tensões
0,5% da medição + erro do TP
0,5% da medição + erro do resistor Shun

Para mais informações, acesse o catálogo do equipamento, disponível no seguinte link: IDM – Monitor para Torque de Comutador | Treetech 
  • TP:
Hardware
Intervalo/descrição
Isolação
Seco
Potência
15 VA
Tensão primária
550 Vrms, 50/60 Hz
Tensão secundária
220 Vrms, 50/60 Hz

Para mais informações, acesse o catálogo de acessórios, disponível no seguinte link: CA – Catálogo de Acessórios | Treetech

Escolha do local apropriado para instalação

    Os fusíveis podem ser utilizados antes ou depois do TP de medição de tensão do motor do comutador. A utilização em um ou outro local fica a critério de cada projetista. 

Nos tópicos abaixo, serão apontadas as vantagens e desvantagens de cada instalação.

Bornes fusíveis instalados no primário do TP de medição

Imagem dos bornes fusíveis instalados no primário do TP de medição


Vantagens
Desvantagens
Proteção do sistema de modo geral (TP + IDM)
Maior dificuldade em encontrar valores comerciais de fusíveis apropriados.
Em caso de uma falha pontual no TP de medição, o disjuntor do comutador pode ficar armado, uma vez que os fusíveis tendem a abrir o circuito.
Em caso de falha pontual no TP, o IDM estará menos protegido do que com o fusível diretamente antes da entrada.

Maior dificuldade na padronização dos fusíveis, a corrente varia com a relação do TP utilizado, e a tensão varia com a tensão do motor.



Bornes fusíveis instalados no secundário do TP de medição

Imagem dos bornes fusíveis instalados no secundário do TP de medição


Vantagens
Desvantagens
Proteção dedicada ao IDM, está empregado diretamente nas entradas do IED.
Caso haja uma falha pontual no TP pode haver desligamento do disjuntor do comutador.
Maior disponibilidade de valores comerciais para os fusíveis necessários.

Padronização dos valores de fusíveis empregados.

Especificação dos fusíveis

    Os fusíveis para as aplicações com a utilização com o TP de medição fornecido pela Treetech são as seguintes:

  • Instalação no primário do TP:

    • Borne fusível SHT-4H Phoenix;

    • Fusível de vidro 5x20 mm, 50 mA, tensão do motor do comutador, classe F. 

  • Instalação no secundário do TP:

    • Borne fusível SHT-4H Phoenix;

    • Fusível de vidro 5x20 mm, 100 mA, 250 V, classe F. 

 

Demais orientações:

  1. As entradas do IDM/SDM utilizam, no máximo, unidades de mA, ou seja, quanto menor o fusível, mais protegido estará.

  2. A recomendação dos 100 mA é para que, em dada corrente, ele queime muito rápido. Mas não é qualquer fusível que pode ser usado. Pode ser observada a tabela comparativa de tempos de atuação no datasheet anexo.

  3. 100 mA é um dos fusíveis de vidro classe F com a menor corrente que ainda é fácil de encontrar

  4. Poderíamos utilizar o de 150 ou 200 mA? Sim, porém ele irá queimar mais lentamente. Não deve ser a primeira opção, mas é sim uma opção. Quanto mais demorar para queimar, mais o produto protegido irá ter que suportar. Pode ser observada a tabela comparativa de tempos de atuação no datasheet anexo.

  5. Dica importante: Ter baixa resistência de filamento. Quanto mais baixa, melhor. Este item normalmente não consta na documentação e varia de fabricante para fabricante. Os de melhor qualidade tem R<10 ohms. Resistências maiores que 10 ohms não podem ser utilizados nas entradas de corrente, pois atrapalham as medições de TC.

 

Modo de teste dos fusíveis:

  1. Multímetro em ohms, baixa impedância.

  2. Se houver continuidade ou resistência muito baixa (inferior a 10 ohms) o fusível está em bom estado.

  3. Se não houver continuidade ou resistência infinita, então o fusível está aberto (queimado). Substitua por um de mesma corrente.

  4. Estados intermediários, ou seja, resistências altas, podem indicar a presença de umidade, mas de qualquer forma o fusível estará aberto, devendo ser substituído.

  5. É claro que, para os fusíveis com invólucros transparentes de vidro podem ser facilmente verificados visualmente. Se o fio interno estiver interrompido, certamente ele está aberto ou queimado. O que ocorre é que às vezes o fusível tem o fio interno interrompido junto ao ponto de soldagem, numa das extremidade e isso não pode ser observado, dando a impressão de que está bom quando não está. Em caso de dúvida, faça o teste! (Como testar Fusíveis (INS042) )


Informações adicionais: